Formação dos professores deve estar alinhada às demandas do século XXI

Educadores precisam de capacitação e evolução constante de suas habilidades, conteúdos e metodologias para garantir que a aprendizagem seja significativa para os estudantes
 

Para que as crianças e os adolescentes possam desenvolver todo o seu potencial num mundo em constante transformação, tão importante quanto os conteúdos que eles aprendem ao longo de suas vidas escolares, é o desenvolvimento de competências e de habilidades socioemocionais alinhadas às demandas do século XXI. “Essas características vão moldar a maneira como eles enfrentarão as mudanças as quais estarão sujeitos. Criatividade, pensamento crítico, proatividade, persistência, resiliência e adaptabilidade, entre outros, são e serão atributos essenciais”, diz Bruno Gebara, diretor de operações da Camino Education.

 

De acordo com ele, da mesma maneira que essas habilidades se alteraram radicalmente, os professores precisam estar em constante formação e evolução, seja de suas competências, dos conteúdos ou de suas metodologias, para garantir que o processo de aprendizagem seja significativo para os estudantes.

 

O modelo tradicional de educação, no qual o professor é detentor do conhecimento e o aluno aprende passivamente conteúdos que não são relevantes para sua vida, não é suficiente para a realidade atual. “Em um mundo onde o conteúdo está disponível num buscador na internet, o processo de ensino não pode se limitar à transmissão de conteúdos, sob o risco de se tornar inútil. Portanto, o professor precisa continuar na sua constante formação para desenvolver as habilidades e os conhecimentos necessários para poder formar indivíduos capazes de realizar boas perguntas para resolver problemas do mundo real, aplicando o conhecimento construído em sala de aula ou fora dela”, afirma Gebara.

 

Nesse sentido, há uma grande mudança no papel do professor e da educação, de um modelo centrado no docente para um modelo centrado no aluno, do ensino em massa para experiências de aprendizagem personalizadas, do foco em conteúdos para o foco em competências integradas a conteúdos, da aprendizagem passiva para a aprendizagem ativa.

 

Nesse método de ensino, os alunos são envolvidos no processo de aprendizagem, no qual a investigação assume papel central e o professor atua como facilitador e não fornecedor de informações. Os estudantes aplicam o conhecimento em situações da vida real, enquanto desenvolvem habilidades socioemocionais, como comunicação e colaboração.

 

“O professor precisa ser um agente de inovação, imbuído do senso de eterno aprendiz, que busca novas metodologias e conhecimentos para trazer experiências de aprendizagem que sejam significativas para seus estudantes”, completa o diretor.