Ambiente digital dialoga mais diretamente com a realidade dos alunos

Plataformas educacionais favorecem a atualização dos conteúdos e a diversidade de formatos, como vídeo e áudio; professor tem que ser empoderado e fortalecido pela tecnologia

Durante a quarentena devido à pandemia do novo coronavírus, tem ficado mais evidente a necessidade de adaptação das escolas, dos professores e das rotinas escolares à realidade do mundo digital. “Ela é uma demanda que está colocada e precisa acontecer para que os alunos não fiquem para trás em termos de calendário escolar e tenham experiências significativas de aprendizagem e desenvolvimento nesse período que estão em casa”, diz Renato Dias, diretor de inovação e produto da Camino Education.


De acordo com ele, os colégios, os professores e as provedoras de conteúdo educacional, como as grandes editoras, vêm correndo atrás dos estudantes nesse sentido, e esse momento intensifica esse esforço de buscar uma interação online mais diversa e que converse mais com as demandas dos alunos. “Nesse sentido, as plataformas educacionais digitais têm vantagens sobre o material didático tradicional, pois favorecem a atualização do conteúdo de forma muito mais rápida e abrem a possibilidade de uma diversidade de formatos que os livros não permitem, como o vídeo e o áudio, recursos que dialogam com esse tempo que os estudantes já vivem. ”


Para Dias, essa aproximação com os alunos não passa apenas pelo conteúdo, mas também pela forma como eles serão mobilizados em relação ao que aprendem. “É preciso trazê-los para colocar em prática o conhecimento com o qual eles estão entrando em contato e promover experiências ativas de aprendizagem.” 

O papel do professor como mediador da aprendizagem

Nesse processo de adaptação ao ambiente digital na escola, a função do professor é fundamental, ao atuar como mediador. “Acho que nós temos que desarmar uma bomba quando falamos de tecnologia na escola, que o papel do educador vai se apagar ou coisa do tipo. O professor tem que ser empoderado e fortalecido pela tecnologia. Por um lado, com um conteúdo que é mais interativo e que vai engajar mais os alunos e, por outro, se capacitando”, observa o diretor.

 

Ele considera que o fato de haver cursos de formação de professores na própria plataforma de ensino, como é o caso da Cloe, da Camino Education, representa uma facilidade, pois permite capacitação contínua e a coloca ao alcance do educador, no seu celular. “Isso se relaciona muito bem com a realidade do docente, já que ele encontra em uma mesma plataforma tudo aquilo que permeia o seu dia a dia — conteúdo para usar com os alunos, as avaliações que vai aplicar e o suporte de formação para ele se enriquecer com uma visão de educação e de aprendizagem que traz o que há de mais moderno. ”

 

Outro fator importante, segundo ele, é a experiência que o usuário, no caso, o educador, vai ter com essa plataforma. “É a simplicidade da experiência e a facilidade do uso que faz com que o professor se engaje e envolva os alunos”, completa o diretor.