Alinhamento entre família e escola se reflete na aprendizagem dos alunos

Assim como instituições devem abrir canais de participação e diálogo com os pais e estudantes, elas também precisam explicitar quais são suas expectativas de aprendizagem
 

O alinhamento entre pais, estudantes, gestores e educadores proporciona uma aprendizagem que acontece dentro e fora da escola. Ao estreitar esses relacionamentos, com motivação e engajamento de todas as partes, o estudante se desenvolve em vários aspectos, construindo saberes e conhecimentos para a vida toda. “Quando escola, família e estudantes estão na mesma página, as chances de diminuir os ruídos de comunicação e de conseguir trabalhar juntos para resultados de aprendizagem mais significativos são muito maiores”, diz Leticia Lyle, Chief Education Officer da Camino Education e diretora pedagógica da Camino School. 

 

Ela explica que esse entrosamento é essencial porque o estudante é um só, tanto em casa, como na escola, no clube ou na comunidade. “Esse alinhamento garante que estamos falando as mesmas coisas ou, se estivermos falando coisas diversas, que fique claro quais são as perspectivas diferentes para se conseguir desenvolver um pensamento crítico, autonomia para a tomada de decisão e um olhar de compaixão para o outro”. De acordo com ela, esse diálogo é muito importante, pois a aprendizagem acontece no estudante e nas relações que ele estabelece – ele aprende muito em casa e traz isso para a escola, assim como ele aprende muito no ambiente escolar e leva isso para casa.

Unindo o ecossistema durante as aulas remotas

Uma das maneiras que uma escola pode abrir esse espaço, segundo a diretora, é criando fóruns de pais e ambientes de escuta, enviando questionários ou, simplesmente, telefonando e batendo um papo com as famílias. “Na pandemia, além de nos comunicarmos por e-mail e Whatsapp, ligamos individualmente aos pais dos estudantes da Camino School para saber como estavam nesse momento. Fizemos isso no princípio da pandemia e novamente após três meses”, conta Leticia. Ela avalia que essa proximidade faz muita diferença e permite que os pais vejam como é importante essa união no cuidado e na aprendizagem dos estudantes. “Quando não nos sentimos sozinhos, conseguimos ter mais resiliência e emoções e sentimentos positivos que apoiam a aprendizagem e a nossa saúde emocional, nesse momento de pandemia”. 

 

Outro ponto importante na comunicação da escola com as famílias é deixar claro quais são as expectativas de aprendizagem, ou seja, aquilo que os pais podem cobrar dos filhos, aquilo que a escola exige dos estudantes e aquilo que os estudantes e pais podem cobrar dos professores. “Sempre no sentido de que é a partir de algumas dessas metas que conseguimos ter diálogos de qualidade, inclusive de coisas que podemos fazer melhor. Esse canal de comunicação aberto com as famílias é um dos aspectos que aproxima toda a comunidade escolar em objetivos comuns em prol da aprendizagem.”